terça-feira, 8 de março de 2011

...ficas a assistir a video-jogos até altas horas!



Nesta noite tinha duas opções:
A - Vou dormir para o quarto e passo a noite sozinha.
B - Rendo-me aos rapazes e aos seu vícios e faço-lhes companhia na sala.

Hipótese B
O facto de ter medo do escuro e detestar estar sozinha não me deixou grandes hipóteses: Fiquei na sala!
Ora digam-me lá uma dúvida que tento desfazer há horas: qual é a piada de trocar uns belos de uns lençóis e uma bela de uma noite de sono por jogos da idade da pedra (ainda por cima!)?! Hum? Alguém é capaz de perceber?
Já dormi, já comi, já voltei a dormir, já fiz a cama para o hóspede, e as pilhas destas duas criaturas parecem não ter fim! Enfim... acho que daqui a pouco me rendo mesmo e vou para a cama! maybe...

Nem de propósito, hoje tive um dia cheio de crianças tecnomaníacas! Não sendo patológico para estes rapazes já crescidos que fazem estas noitadas de vez enquando, pode ser muito patológico para criancinhas com poucas regras e muita liberdade para fazer o que querem.

Aproveito o apelo: mães, meninos sossegadinhos que não chateiam ninguém enquanto estão a jogar computador, PSP, PS2, Wii e sei lá mais o quê durante todo o dia, podem ser muitos fáceis de aturar, mas está completamente errado!
Como é que uma criança cresce, se desenvolve, aprende a falar e etc. se tem televisão no quarto, jogos por todos os cantos da casa e etc.? Parece que ficou um molengão. Disse-me uma vez uma mãe. Ora e porque será?
Ponham as crianças na rua! Levem-nas a parques, deixem-nas jogar à bola com outros miúdos no pátio próximo de casa enquanto lê o jornal ou o livro ali perto. Deixem-nas fazer uma actividade desportiva em grupo para que convivam com crianças da mesma idade. Ensinem as crianças a brincar, com brinquedos! verdadeiros! e não virtuais! Arranjem um espaço em casa com uma manta no chão e uma caixa com alguns brinquedos para a criança se poder movimentar e brincar à vontade. Não deixem que as crianças sejam sossegadinhas a jogar a uma consola. Também é importante, mas como tudo, precisa de limites. E, na minha simples opinião, o nosso povo está num bom caminho para se afastar desses limites.

Com o dia que tive hoje, senti necessidade de partilhar isto convosco, pensemos um pouco. Não estaremos nós a exagerar com tanta tecnologia, para as nossas crianças?

6 comentários:

Nita disse...

Como mãe, fui sempre contra colocar os filhotes à frente da televisão ou jogarem no pc, por vezes era bem mais fácil depois de um dia de trabalho, chegar a casa e organizar tudo para o dia a seguir, mas mesmo assim fazia os possíveis para eles bricarem com brinquedos...Faz-me uma enorme confusão quando vou a um centro comercial e vejo os meninos e meninas no parque!!!! os parque ao ar livre já não servem????!!
Mas isto tudo é por não haver tempo, tempo que não podem estar com os filhotes e compensam com os bens materiais em vez de jogarem aos carrinhos...
Os meus filhos ainda podem dizer, ainda sou do tempo de brincar com briquedos, não é??!!!

Beijinhos
Adoro o teu blog, LY

Imagina que... disse...

Lá isso é verdade. Ainda sou do tempo em que ficar fechado em casa a ver televisão era mais um castigo que um presente. Houvesse sol para a malta ir brincar para rua e lá íamos nós! Ly

Nita disse...

Sol?!!!! e a chuva, a lama?!!!! já não te lembras dos passeios que davamos de jipe?!!! nem vocês (filhos) escapavam ao lamaçal...lolololol
me to

Rita & os Tachos disse...

Concordo com vocês, se repararem num casa normal toda a mobília e a disposição do lar está virada para estes aparelhos electrónicos. Infelizmente é a maneira mais fácil de os manter "hipnotizados" durante o tempo que os papás precisam de sossego. Já em relação às "nossas" crianças, o que se há-de fazer? ;) Beijinhos

Imagina que... disse...

É... é um pouco triste que não podemos mudar o mundo. Tudo o que tem um lado positivo, tem um negativo. E este é o negativo do avanço da tecnologia de hoje.

Olívia Palito disse...

E eu como mãe, agradeço estas dicas, embora confesse, já pratico muitas delas. Mas gostei da explicação dada por ti. :)
Concordo, estamos numa era que a tecnologia e a virtualidade, tenta a todo o custo, tirar-nos da vida real. E as crianças precisam saber que existe vida além do computador.

Beijo*